POEMAS ENCENADOS – O FUTURISMO DO NOSSO PASSADO

… o que se chamou sensibilidade futurista — cantou coisas que se consideravam pouco poéticas, quando é certo que só o prosaico é que é pouco poético, e o prosaico não está nas coisas mas em nós.

1ª versão in Pessoa por Conhecer Textos para um Novo Mapa . Teresa Rita Lopes

Poemas de Álvaro de Campos e outros poetas que se poderiam enquadrar na ideia de FUTURISMO veiculada pela revista Orpheu 2, serão dramatizados por alunos da  Escola Secundária Dr. Jorge Augusto Correia  e do Agrupamento D. Manuel como resultado de uma oficina de cinco sessões ministrada a partir de 6 de Outubro pelo ator, encenador e professor Luís Luz da associação Semente de Alfarroba, sob a coordenação da Profª Ana Cristina Matias, professora de português, dinamizadora de projetos e bibliotecária da Escola Secundária de Tavira.

 

Ana Cristina Simão Matias, Mestre em Didática das Línguas e Culturas Modernas, especialização em Português, e Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas, Estudos Portugueses e Ingleses, é docente do Grupo 300 na Escola Secundária Dr. Jorge Augusto Correia, onde é também professora bibliotecária e dinamizadora de projetos. Formadora da formação contínua de professores, já foi consultora de formação, assessora técnico-pedagógica, assistente de Inglês, orientadora de estágios e formadora do IEFP.

Luís Luz, nascido em 1964, é licenciado em Educação Artística, frequentou o Curso de Mestrado em Drama in Education, em Birmingham – Inglaterra, é professor do 1º ciclo, dizeur de poesia, ator, encenador e formador. Reside em Tavira desde 2008, onde leciona. Não sendo seguidor de nenhum movimento estético em particular, reconhece influências de vários artistas na sua forma de abordar o teatro: Stanislavski, Grotowski, Peter Brook, Boal, Charlie Chaplin, Rowan Watkinson, Popov, Marcel Marceau.