IN CITATIONS ( IN QUOTES )

 

 

TUE 3rd oct to THU 30 nov 2017 

Time Schedule:
TUE and WED 14h00 - 20h00

THU, FRI, SAT 11h00 - 14h00 / 18h00 - 23h00.
Closed on Sundays and Mondays


Casa Álvaro de Campos 
exhibition of visual arts by Isabel Macieira & Matthijs Warner

Open hours: 
TUE - WED 14h00 - 20h00  
THU, FRI, SAT 11h00 - 14h00 / 18h00 - 23h00
Closed SUN . MON


I am nothing.
I will never be anything 
I cannot wish to be anything. 
Apart from this, I have in me all the dreams of the world.

                              In Tabacaria. Álvaro de Campos
.

Exhibition by Isabel Macieira & Matthijs Warner. Using their own individual techniques, the artists invite spectators to reflect on quotations from poems by Álvaro de Campos

Algarve Resident – Tavira hosts Álvaro de Campos Festival

IN CITAÇÕES exposição 1

IN CITAÇÕES exposição 2

IN CITAÇÕES exposição 3

IN CITAÇÕES exposição 4


Isabel Macieira 

Born in Lisbon.  Lived in  Moçambique, Saudi Arabia, Madeira and Açores. Lives in Tavira since 1985. Has a Masters degree in Portuguese Art History from Universidade do Algarve. Was a teacher of Visual Arts and drawing until 2014. Has been developing a career in visual arts since 1990, with collaborations and her own exhibitions in Portugal and abroad. In 2009 she creates , together with Matthijs Warner, “casa5”, an association of visual and plastic arts in Tavira, connected to the production of artistic and cultural events.




Matthijs Warner Leijenaar 

Born in  the Netherlands. Attended the Academy of Art Arnhem. Works as an independent visual artist and has been a curator for 15 years of an arts platform on the internet. In 1986 he became a Buddhist and later dedicated himself to the studies of the   Advaita vedanta.

He produced several exhibitions in Amsterdam and other cities of the Netherlands; in Paris, Franã. Lives and works in Tavira since 2007, organising and participating in art exhibitions. Publishes books about his work and spirituality books.  www.1001.org.


CITAÇÕES | CITATIONS

Querendo, quero o infinito
Desiring, I desire infinity
                            Fernando Pessoa

Tudo que faço ou medito, Fica sempre na metade.
Querendo, quero o infinito.


Começo a conhecer-me. Não existo.
I begin to know myself. I don't exist.
                             Álvaro de Campos

Começo a conhecer-me. Não existo.
Sou o intervalo entre o que desejo ser e os outros me fizeram,


Ama-se por memória.
One loves through memory
                          Álvaro de Campos

Tudo na vida 
Se faz por recordações.
Ama-se por memória.


Existir é estar desatento.
Existing means not paying attention
                            Álvaro de Campos

Só vê nitidamente uma coisa 
quem não vê nitidamente essa coisa. 
Existir é estar desatento.


Ser é abdicar.
To be is to desist
                              Bernardo Soares

O homem que descobriu a liberdade 
voltou para casa e fechou-se na cama
Ser é abdicar.



Nem tudo o que é ouro é luz.
Not all gold glitters
                            Álvaro de Campos

Mais vale nunca do que tarde.
Nem tudo que é ouro é luz.

Candeia que vai adiante alumia duas rezes.
Deus escreve os tortos por linhas direitas.



Ser forte é ser capaz de sentir.
To be strong is to be able to feel
                             Álvaro de Campos

... os temperamentos definidos e fortes são facilmente hipnotizáveis ...mas não são hipnotizáveis os idiotas, os imbecis, os fracos e os incoerentes. Ser forte é ser capaz de sentir.



Quanto fui, quanto não fui, tudo isso sou.
How much I was or how much I was not, all of this I am.
                             Álvaro de Campos

Sim, sou eu, eu mesmo, tal qual resultei de tudo, Sou eu aqui em mim, sou eu.
Quanto fui, quanto não fui, tudo isso sou.



Viver é desencontrar-se consigo mesmo.
To live is to fail to meet yourself.
                             Álvaro de Campos

Poema de canção sobre a esperança
Viver é desencontrar-se consigo mesmo.
No fim de tudo, se tiver sono, dormirei.
                             


Sou quem falhei ser.
I am who I failed to be.
                           Álvaro de Campos

Pecado Original
… O que não há somos nós, e a verdade está aí.
Sou quem falhei ser.
Somos todos quem nos supusemos.



CASA ÁLVARO DE CAMPOS