Bartolomeu e Tavira

Bartolomeu Cid dos Santos (1931-2008) apresentou-se no Quartel da Atalaia em 1958 para completar, como Aspirante a Oficial, o seu serviço militar  deixando-nos para sempre em 2008.  A sua relação de amor com Tavira durou assim cinquenta anos. 

Ao jubilar-se  do Departamento de Gravura da Slade School(1996) com o titulo de Emeritus Professor in Fine Art da Universidade de Londres e membro da Royal Socity of Pinter Printmakeres,optou por Tavira, em detrimento de Sintra e Londres onde manteve casa, para continuar a sua atividade artística. 

Aqui produziu inúmeros trabalhos, fundou a sua Oficina de Gravura (1995),a mais completa e bem equipada ao sul do Tejo ainda em plena atividade, atraiu importantes gravadores nacionais e estrangeiros e  formou alguns dos mais notáveis gravadores portugueses contemporâneos deixando na cidade uma profunda marca da sua passagem. 

Bartolomeu reunia uma dupla e rara qualidade. Para além de reconhecido como  Mestre de elevada competência foi considerado como o mais genial  Gravador português do seu tempo. Ao completarem-se dez anos sobre a sua partida impõe-se avivar a  memoria para para que a Cidade que Bartolomeu tanto amava não o deixe cair no esquecimento. Tavira 10 de Setembro de 2018

Tavira 10 de Setembro de 2018

José Delgado Martins

Presidente da Casa das Artes de Tavira
Sócio Honorário e Fundador da Partilha Alternativa