A CONCUBINA JAPONESA

THE JAPANESE CONCUBINE

Casa Álvaro de Campos SAB 09 NOVEMBRO 17h00

Toda a gente é a caricatura de uma única pessoa que não existe. Nenhum de nós podia figurar num romance realista. Somos todos falsos, inteiramente irreais.

Everyone is the caricature of a single person that doesn’t exist. None of us could figure in a realistic novel. We are all false, entirely unreal.

               In As Crónicas Decorativas de Fernando Pessoa . edição crítica de 8 documentos de Fabrizio Boscaglia

Uma intersecção inesperada – uma fantasia plausível | An unexpected intersection – a plausible fantasy

A bailarina Yuko Kominami e o músico Tomás Tello apresentarão uma performance “árvores, pedras, montes, bailam parados dentro de mim inspirada nos poemas Chuva Oblíqua de Fernando Pessoa.

Dancer Yuko Kominami and musician Tomás Tello present the performance “trees, stones, hills, dance without moving inside me“… inspired by the poem Chuva Oblíqua by Fernando Pessoa.

Nessa mesma ocasião o público poderá tomar conhecimento das evidências que se começam a encontrar e que corroboram a tese aventada por Rie Goto e Kunihiko Matsuo postulando que o pai de Álvaro de Campos terá vivido no Japão, onde teria tido uma concubina e deixado descendência.

At the same occasion the public will be offered some evidence that intends to corroborate the theses raised by Rie Goto and Kunihiko Matsuo, postulating that Álvaro de Campos’s father lived in Japan, where he had a concubine and left offspring.

Mais informação | More information